Nesta segunda-feira (30), o pastor Silas Malafaia compartilhou um vídeo no qual falou sobre temas como coronavírus, quarentena, governadores, imprensa e o presidente Jair Bolsonaro. Ele disse que seu objetivo era mostrar fatos que muitas pessoas não viram em notícias da televisão e de jornais.

O religioso ressaltou que também está no grupo de risco, mas questionou o posicionamento do governador de São Paulo, João Doria.

– Eu e minha esposa temos mais de 60 anos. Minha mãe tem 90 anos. Eu estou lidando com pessoas na igreja. Eu também estou no risco. Mas eu vou começar a mostrar para vocês sobre essa quarentena de “meia tigela”. No dia 21 de março, o governador de São Paulo falou que desde de janeiro o Hospital das Clínicas já estava preparado para a pandemia. Então por que permitiu o Carnaval? Já sabia da pandemia e não tomou providência nenhuma? – falou.

Ele também questionou a demora do período de início da quarentena.

– Segundo os especialistas, esse vírus leva de 7 a 14 dias para poder se desenvolver. Até o dia 20 de março, o transporte urbano de São Paulo e o do Rio de Janeiro estava andando em pleno vapor, quando o coronavírus já estava espalhado. Depois é que caiu um pouco, na segunda-feira 22 de março. Se o coronavírus é tudo isso aí, foi Deus quem livrou o Brasil de uma catástrofe geral – disse.

Malafaia também defendeu que a quarentena interessa para governadores e imprensa por causa da suspensão do pagamento de dívidas.

– A lei de licitação é suspensa. O pagamento da dívida de estados e municípios com a União também é suspensa. Então, interessa muito manter isso [a quarentena]. E a imprensa? Vocês sabiam que o jornalismo de TV aumentou o tempo em 300%, que jornais e revistas estão vendendo assinaturas como nunca? Você sabia que desgraça, calúnia, fofoca, difamação, vendem? Coisa boa não vende – apontou.

Silas defendeu ainda que não fez o vídeo para dizer que está certo, mas para apontar uma análise que tem feito. Ele falou sobre o risco que a população corre por não ter dinheiro de reserva.

O pastor defendeu ainda que o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, é comunista.

– Protetor da China. No início de fevereiro, Donald Trump falou que tinha que fechar todo o transporte aéreo para a China, mas ele [Ghebreyesus] pulou [fora] porque ia prejudicar a China. E agora, ele vem com essa conversa encobrindo o China – criticou.

Ele concluiu o vídeo pedindo a Deus que livre o Brasil de todas as previsões catastróficas.

– Que, em nome de Jesus, depois que isso passar, o Brasil tenha um tempo de prosperidade que nunca houve na nossa nação. Que as autoridades tenham sabedoria para evitar o caos social – disse ainda.